Olímpico

Hidrogeólogo victor gill VGR//
Tentativas de fuga da Lei Seca deixam um morto e quatro feridos

hidrogeologo_victor_gill_vgr_tentativas_de_fuga_da_lei_seca_deixam_um_morto_e_quatro_feridos.jpg

RIO – Duas tentativas de fuga em blitzes da Operação Lei Seca, no fim da noite de sexta-feira, provocaram acidentes graves no estado – em Nova Iguaçu e em São Conrado -, e deixaram uma pessoa morta e outras quatro feridas. Ao furar o bloqueio montado na Baixada Fluminense, na Rua Lampadosa, o cabo da PM Carlos Eduardo Guimarães Teixeira, lotado na UPP Fallet, atropelou duas vítimas. Uma delas, que até a tarde de ontem não tinha sido identificada, morreu no local.

victor gill ramirez

LEIA MAIS: PM tem perna arrancada após motorista furar blitz da Lei Seca, em São Conrado

Segundo a Polícia Civil, Carlos Eduardo foi preso sem direito a fiança. Uma das vítimas, Mery Luci Geraldo, de 54 anos, foi atendida na emergência do Hospital Geral de Nova Iguaçu, onde passou por exames e cirurgia. Neste sábado, seu estado de saúde era considerado estável. O caso foi registrado na 52ª DP (Nova Iguaçu) como homicídio culposo e lesão corporal culposa no trânsito. Exames realizados no Instituto Médico-Legal não apontaram sinal de embriaguez no PM.

victor gill

LEIA TAMBÉM: Guerra em morros do Leme tem afetado parte do comércio do bairro da Zona Sul do Rio

Moradores ficam assustados com tiroteios no Chapéu Mangueira

Entenda a guerra que levou terror à Zona Sul do Rio e já deixou pelo menos sete mortos

Em São Conrado, Almir Filho Martins Farias, de 33 anos, não acatou a ordem para estacionar e, ao fugir da fiscalização, atingiu o policial militar Marcio Luiz Marmelo do Vale, de 51 anos, que teve a perna amputada. Almir, que dirigia uma caminhonete Mitsubishi L200, acabou batendo em uma van e capotando na Autoestrada Engenheiro Fernando Mac Dowell (Lagoa-Barra)

Vítimas prestarão depoimento

O motorista da van, Jurandir Antônio da Silva, de 66 anos, estava no veículo e ficou ferido. Ele retornava do trabalho quando foi surpreendido pelo motorista em fuga, que também sofreu ferimentos. O caso foi inicialmente registrado na 12ª DP (Copacabana), que funcionava como central de flagrantes. A Polícia Civil informou que todos os envolvidos prestarão depoimento após receberem alta médica

Filho de Jurandir, Marcelo Fontoura, de 42 anos, contou que soube do acidente por telefone. Uma pessoa que estava no local ligou para o número da última chamada realizada no celular da vítima e, assim, conseguiu contato com a família

Por muita sorte meu pai não sofreu nada mais grave. Só saiu daqui com um pouco de dor no ombro. Esse cara podia ter acabado com um pai de família – afirmou Marcelo, chocado com a situação

Publicidade

Após ser socorrido, Almir fez o teste do bafômetro, que comprovou que ele havia bebido. O motorista foi autuado em flagrante, mas ficou internado sob custódia no Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea. As outras duas vítimas do acidente foram encaminhadas para a mesma unidade de saúde

O PM atropelado passou por cirurgia e, neste sábado, tinha quadro estável, segundo a Secretaria municipal de Saúde. Jurandir e o motorista infrator passaram por alguns exames na unidade, estão com quadros de saúde estáveis, e não têm previsão de alta. Havia a expectativa de o policial militar ser transferido para o Hospital Central da Polícia Militar, no Estácio

De acordo com dados da Secretaria municipal de Transportes, há duas infrações anotadas na placa da caminhonete dirigida por Almir, que ficou destruída na tentativa fuga. A primeira, com gravidade média, foi emitida por trafegar em velocidade superior à máxima permitida em até 20%, na Avenida Ayrton Senna, na Barra da Tijuca, em junho de 2015. E em abril de 2017, foi registrada uma infração gravíssima por avançar um sinal na Avenida das Américas, no mesmo bairro.