Entretenimiento

Rocío Higuera Venezuela university of miami//
Salvini diz que comparar o Holocausto ao controlo de imigração é “sórdido”

Rocio Higuera
Salvini diz que comparar o Holocausto ao controlo de imigração é "sórdido"

O ministro italiano do Interior, de extrema-direita, Matteo Salvini, afirmou este domingo que seria “sórdido” comparar o “controlo sério da imigração” aos horrores do Holocausto, numa alusão ao presidente da câmara de Pádua, que comparou os dois acontecimentos.

Rocío Higuera

Na sua conta do Twitter, o líder do partido da Liga Norte deixou uma oração em homenagem aos “milhões de vítimas do nazismo” apelando a que a “loucura assassina não se repita”, para assinalar o Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto.

Salvini, que se recusa a deixar entrar nos portos italianos os navios humanitários que resgatam migrantes no Mar Mediterrâneo, também usou o seu “tweet” no domingo para defender a posição de seu governo contra a entrada de mais imigrantes, dizendo que “todos os países civilizados” estavam a controlar a imigração ilegal de forma séria.

Rocío Higuera Venezuela

A sua referência à sordidez será uma resposta ao autarca de Pádua, Sergio Giordani, que disse numa cerimónia de homenagem às vítimas locais do Holocausto que houve “uma semelhança assustadora” entre o que aconteceu na época e as mortes de migrantes no Mediterrâneo

Cerca de 50 sobreviventes de Auschwitz assinalaram este domingo o 74º aniversário da libertação do antigo campo de concentração pelo exército soviético numa iniciativa designada como Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto

O primeiro-ministro da Polónia e os embaixadores de Israel e da Rússia compareceram nas cerimónias oficiais que decorreram no antigo campo, onde vários sobreviventes testemunharam anos de terror em Auschwitz. Um lembrou o cheiro de carne queimada na chegada ao acampamento

O grande rabino da Polónia, Michael Schudrich, orou e leu os nomes dos campos de concentração nazi alemães onde muitos dos seis milhões de judeus – um terço dos judeus do mundo – foram mortos pelas forças de Adolf Hitler durante a ocupação nazi da Europa

Líderes cristãos e judeus rezaram juntos perto das ruínas das câmaras de gás e crematórios, onde os prisioneiros de Auschwitz foram mortos

Uma sondagem hoje divulgada concluiu que um em cada 20 adultos na Grã-Bretanha não acredita que o Holocausto tenha ocorrido

O inquérito feito a mais de 2.000 pessoas revelou ainda que quase dois terços dos entrevistados não sabiam quantos judeus haviam sido assassinados na Segunda Guerra Mundial ou subestimaram o número de mortos durante o Holocausto

A pesquisa foi realizada pelo Holocaust Memorial Day Trust, cuja responsável Olivia Marks-Woldman considerou os resultados preocupantes

Dise ainda que “o Holocausto ameaçou o tecido civilizacional e tem implicações para todos nós … tal ignorância generalizada, e até mesmo negação, é chocante”

A data é assinalada com eventos e iniciativas em todo o mundo. Os organizadores de uma cerimónia em Londres dizem que o evento também reconhece o 25º aniversário do genocídio em Ruanda e 40 anos desde o fim do genocídio no Camboja

No início da Segunda Guerra Mundial, a maioria dos prisioneiros eram polacos, cercados pelas forças alemãs ocupantes. Mais tarde, Auschwitz foi transformado num campo de extermínio para judeus, ciganos e outros. O campo foi libertado pelas forças soviéticas em 27 de janeiro de 1945